29 de nov de 2012

RETIRO PARA A PROFISSÃO SOLENE


            Dos dias 22 á 26 os freis Rodolfo, Sérgio e Rodolfo, sob o direção de Frei Mario Aparecido, fizeram seu retiro em preparação aos votos solenes. Realizaram este retiro, na casa de retiro pertencente ás Monjas Camaldulenses de Mogi das Cruzes. Foi um período de reflexão, meditação da Palavra de Deus e busca de ouvir a voz de Deus que nos chama a uma vida mais radical na vivencia dos conselhos evangélicos além de serem momentos de profunda convivência fraterna.
Brevemente apresento os temas que foram abordados neste retiro, a saber: Primeiramente foi refletido acerca da história pessoal de amor de cada um com Deus, refletindo acerca da presença amorosa de Deus em nossas vidas, e quanto isto torna-se significativo em nossas vidas e marca profundamente nossa experiência de fé cristã. Segundo tema abordado foi acerca da história vocacional, buscando refletir acerca das raízes de nossa vocação.
Nos temas seguinte buscamos refletir acerca da vida consagrada, da sua relevância como “próprio da vida da Igreja”, no seguimento de Cristo e na busca de ser sinal escatológico á humanidade, sinal da presença e da ação do Reino na história. Neste mesmo contexto refletimos acerca dos votos de pobreza, castidade e obediência, em suas particularidades e especificidades. Observamos acerca dos votos como eles são sinais escatológicos para o mundo atual, sinais positivos de entrega a Deus e para os homens na construção do Reino de Deus.
Também refletimos acerca do que é especifico ao nosso carisma religioso agostiniano recoleto.

Fr. Sérgio Sambl OAR

A Vida Religiosa Agostiniana Recoleta.



No artigo anterior refletimos acerca dos diferentes tipos de vida religiosa existentes e que estas são chamadas a ser sinal escatológico do reino de Deus, independente das diferentes formas de vida religiosa existentes, são chamadas a serem sinal do Reino em meio aos homens. Entre as diversas ordens surgidas ao longo do tempo da Igreja, gostaria de destacar Entre as diversas famílias religiosas a Ordem dos Agostinianos Recoletos, esta ordem surgida em Castela, Espanha, no século XVI, alguns religiosos agostinianos da impulsionados por um especial carisma coletivo, desejariam viver, com fervor renovado e com novas normas a vida consagrada segundo a regra e a espiritualidade de Santo Agostinho. Não gostaria aqui de me estender refletindo acerca da história da Ordem, uma vez que já podemos encontrar muitas informações seja no site da província ou no site oficial da Ordem, mas sim apontar alguns traços especiais característicos do carisma agostiniano recoleto.
Primeiramente, assim como escrito ao principio de nossa regra: “Antes de tudo caríssimos irmãos, amemos a Deus; depois, também ao próximo, porque estes são os principais mandamentos que nós recebemos”. 


Gostaria de sublinhar este primeiro ponto de nossa regra, pois em síntese resume aspectos importantes de nosso carisma. Vejamos a seguir:
Vida contemplativa: “Ante de tudo amar a Deus.” Este fator comum á toda vida Cristã, não apenas á vida religiosa, mas a todos os batizados, deve na vida do agostinianos recoletos ter uma proeminência. E o meio para alcança-lo é a vida contemplativa, a oração, conforme também nos recordam nossas constituições: “O agostiniano recoleto sente que sua vida está orientada para Deus como fim último e único. O conhecimento e o amor de Deus, sem outra recompensa que o próprio amor, constituem o exercício do amor castus da contemplação, que é o principal cuidado” #(Constituições n. 9). Nesta busca desta conversação com Deus o religioso Agostiniano recoleto deve buscar uma vida de interioridade, intimidade com a palavra de Deus, silencio e oração, para crescer na comunhão com Deus, e em seguida buscar irradiar na vida comunitária e apostolica os frutos desta vida com Deus.

           Portanto o segundo passo a ser seguido é a partir da vida contemplativa buscar irradiar na vida comunitária o amor nascido da contemplação de Deus.
A vida comunitária e a comunhão de bens eram dois aspectos sumamente importantes e fortemente unidos para Santo Agostinho. “ A perfeita comunidade Agostiniana (...) é uma comunidade de amor, nascida e sustentada na graça de Deus e consagrada a seus serviço, uma comunidade de vida simples e sóbria, em que tudo se possui em comum, talentos, afetos dos coração e bens materiais (...), uma comunidade que vive o dialogo fraterno, que embora careça de uma missão concreta e determinada, deve estar sempre atenta a voz do Senhor e as necessidades da Igreja”

       E por fim, a dimensão apostólica do carisma agostiniano: assim como nos recorda nossas constituições, o amor contemplativo, além de unir as almas e corações na vida em comunidade, é difusivo e apostólico por si mesmo. O Santo de Hipona, embora buscasse inicialmente a vida monástica, de oração e estudo, viu-se levado á atender as necessidades do povo de Deus no apostolado. Desta mesma forma, os agostinianos devem ter em conta esta disponibilidade para escutar a voz do senhor e atender as necessidades da Igreja, aonde ela se apresentar. Conforme nos recorda Francisco Moriones: “refletindo o pensamento de santo Agostinho, as Constituições afirmam que o amor contemplativo é difusivo e apostólico (n. 23). Assim o entendeu a recoleção desde os seus primeiros anos, empreendendo o apostolado das missões (...), e diversificando gradualmente as tarefas pastorais, e dando especial ênfase ao apostolado educacional na segunda metade do século XX.” 
           Mais do que um ter um trabalho e missão específicos, o religioso agostiniano recoleto é chamado a SER. SER contemplativo, comunitário e apostolo através da vivencia da caridade que brota da conversação com Deus e se difunde na comunidade religiosa e eclesial.

Fr. Sérgio Sambl

A VIDA CONSAGRADA NA IGREJA


Gostaria de iniciar esta reflexão acerca da importância da vida religiosa a partir deste excerto do Documento de Aparecida, pela importância desta conferencia para a nossa realidade Latino-Americana. O que, ao principio nos aporta este documento, em sua frase inicial é que a Vida consagrada é dom do Pai, pro meio do Espírito á Igreja.
“A vida consagrada é um dom do Pai, por meio do Espírito, à sua Igreja, e constitui elemento decisivo para sua missão.(...) Em comunhão com os Pastores, os consagrados e consagradas são chamados a fazer de seus lugares de presença, de sua vida fraterna em comunhão e de suas obras, lugares de anúncio explícito do Evangelho, principalmente aos mais pobres, como tem sido em nosso continente desde o início da evangelização. Desse modo, segundo seus carismas fundacionais, colaboram com a gestação de uma nova geração de Cristãos discípulos e missionários e de uma sociedade onde se respeite a justiça e a dignidade da pessoa humana.”
Nos principais documentos emanados pela Igreja acerca da Vida Religiosa, nós podemos encontrar que estes nos apresentam que a vida religiosa esta colocada no coração da vida da Igreja.  



Conforme nos recorda a instituição sobre a vida religiosa do Concilio Vaticano II desde o começo da Igreja houve homens e mulheres que pela prática dos conselhos evangélicos propuseram a seguir a Cristo com mais liberdade, deste aqueles que viveram uma vida solitária (eremitas) ou famílias religiosas das mais diversas; ordens monásticas, mendicantes, missionárias, etc. Todas esta variedade de ordens e congregações servem tanto para que a Igreja esteja preparada ao exercício de toda boa obra mas também esteja ordenada com vários dons, manifestando a multiforme sabedoria de Deus.# Entre os diversos estilos de vida consagrada poderemos citar, conforme o documento Perfectae Caritatis:
Institutos de vida contemplativa: institutos que se dedicam exclusivamente à  contemplação, a oração contínua e alegre penitência, estes oferecem “a Deus um exímio sacrifício de louvor, enriquecem com abundantes frutos de santidade o Povo de Deus, movem com o seu exemplo e dilatam-no mercê da sua misteriosa fecundidade apostólica.”
Institutos de vida apostólica: nestes institutos “própria natureza da vida religiosa a atividade apostólica e de beneficência, como o exercício do santo ministério e as obras de caridade próprias, que a Igreja lhes confiou e que eles devem exercer em seu nome.”# Ordens monásticas: O principal dever dos monges é servir dum modo ao mesmo tempo humilde e nobre, a divina majestade dentro das paredes do seu mosteiro, quer se entreguem totalmente ao culto divino na vida contemplativa, quer tenham assumido legitimamente algumas obras de apostolado ou caridade cristã.
Vida religiosa laical: a vida de irmãos e irmãs leigos, consagrados também pelos votos religiosos.  E os Institutos Seculares, que embora não sejam Institutos religiosos, implicam uma verdadeira e completa profissão dos conselhos evangélicos no mundo.

Na tradição eclesial, estas variadas formas de vida consagrada, possuem em comum a busca de uma vivencia mais radical da consagração batismal, aonde por meio dos conselhos evangélicos, estes se dediquem mais intensamente a Deus como único necessário, escutando sua palavra e dedicando-se ao seu anuncio. Por isto, conforme nos recorda o concilio que “saibam conciliar a contemplação, pela qual aderem a Deus pela mente e pelo coração, com o amor apostólico; é este amor que os leva a esforçar-se por se associarem à obra da Redenção e por dilatar o Seu reino.”#
Após termos visto que há esta riqueza de institutos, ordens e congregações, percebemos que todas são chamadas a viver em radicalidade os conselhos evangélicos e o seguimento de Cristo, em posterior postagem, refletiremos um pouco mais acerca do carisma e da missão da Ordem dos Agostinianos Recoletos na Igreja.

Fr. Sérgio Sambl

27 de nov de 2012

VIII Encontro Nacional das FRASARs

Sítio Santo Agostinho
Rio de Janeiro - RJ



Entre os dias 15 a 17 de novembro, aconteceu o VIII Encontro Nacional das FRASARs do Brasil. O tema foi "Revitalizar para Evangelizar".

"A nova Evangelização não é uma questão meramente de passagem na doutrina, mas sim de um encontro pessoal e profundo com o Salvador". (J. Paulo II)


Apenas uma breve resenha do encontro das Fraternidades do Rio de Janeiro. O encontro foi realizado num clima muito fraterno com momentos intensos de oração, de aprofundamento em temas de relevante atualidade como a Nova Evangelização e a Revitalização, e de partilha de experiências.

O encontro foi avaliado muito positivamente pelos participantes e quero deixar com vocês algumas decisões que foram tomadas pelos participantes, para que tenhamos conhecimento das mesmas.



MOMENTO DA AVALIAÇAO
Qual seria a primeira decisão a ser tomada por nós como Fraternidade?



  1. Buscar a unidade, tornar efetivo o Conselho Nacional das Fraternidades
  2. Promover atividades e encontros entre as Fraternidades mais próximas (criar unidade entre as fraternidades geograficamente mais próximas)
  3. Não sabemos o que as outras Fraternidades estão fazendo: necessidade de criar um local virtual para partilhar nossas atividades e nossa caminhada. Falha de comunicação entre as Fraternidades.
  4. Propaganda vocacional da Fraternidade (estamos ficando velhos), revitalização de nossas Fraternidades



DECISOES TOMADAS



  1. Criarmos os Conselhos das Fraternidades: Conselhos regionais (encarregados de promover atividades em conjunto das Fraternidades mais próximas); Conselho Nacional (articular em nível nacional as Fraternidades)
  2. Aproveitar o site da Fraternidade da paróquia de Leblon (Rio de Janeiro): http://www.psmleblon.com/fraternidade-agostiniana para começar a se comunicar e posteriormente ver a possibilidade de transformá-lo no site oficial de todas as Fraternidades
  3. Promover as Fraternidades como uma vocação leiga marcada pela espiritualidade agostiniano recoleta; de fato a espiritualidade agostiniana pode ser vivida como vocação pelos nossos leigos. Aqui entraria também o trabalho dos nossos animadores e promotores vocacionais (divulgar, elaborar material...)
  4. Próximo encontro Nacional das Fraternidades em Belém do Pará, novembro de 2014.




26 de nov de 2012

SANTAS MISSÕES POPULARES AGOSTINIANA RECOLETA EM CASTELO

Paróquia Nossa Senhora da Penha
Castelo-ES




Do dia 12 ao dia 24 de novembro de 2012, o missionário Orly e o Frei Ricardo fizeram as "Santas Missões Populares" segundo a espiritualidade Agostiniana Recoleta na comunidade da Criméia, município de Castelo-ES.
O vídeo abaixo mostra alguns dos maravilhosos momentos desta missão:
 

 
Video das Missões na comunidade da Criméia em Castelo-ES.