1 de fev de 2013

SANTORAL AGOSTINIANO: BEM-AVENTURADO ESTÊVÃO BELLESINI, PRESBÍTERO (3 DE FEVEREIRO)

Província Santa Rita de Cássia
Brasil

 
Estêvão Bellesini (Trento, 25 de novembro de 1774 – Genazzano, Roma, 2 de fevereiro de 1840) nascido de nobre família em Trento, localidade que integrava então o Império austro-húngaro, emitiu os votos religiosos na Ordem Agostiniana aos 31 de maio de 1794. Quando o convento tridentino foi fechado pelo governo e sua comunidade religiosa dispersa, Estêvão voltou a residir com sua família e, num ambiente adverso à religião, criou uma escola para crianças, dedicando-se ativamente à atividade docente quer científica quer cristã. Acabou conquistando a confiança e a estima da autoridade civil em razão do seu trabalho pedagógico.

        Suas relíquias expõem-se à veneração no santuário de Nossa Senhora do Bom Conselho em Genazzano. A fidelidade à vocação religiosa, o grande amor aos jovens, especialmente aos pobres e a terna devoção a Nossa Senhora são a herança espiritual que o Bem-aventurado Estêvão nos deixou.

30 de jan de 2013

AS JAR QUEREM SENTIR O ABRAÇO DO CRISTO REDENTOR NA JMJ-RIO DE JANEIRO 2013

Cúria Geral OAR
Roma - Itália



«Ide e fazei discípulos entre as nações!» (cf. Mt 28,19) é o título da Mensagem de Bento XVI tendo em vista a 28ª Jornada Mundial da Juventude, que terá lugar no Rio de Janeiro (Brasil) no mês de julho de 2013. O Papa convida os jovens a “deixar-se abraçar por Cristo”, aludindo à grande imagem que preside a cidade carioca. Por sua parte, as Juventudes Agostiniano-Recoletas (JAR) preparam sua unificação e seu segundo Encontro Internacional coincidindo com a festa universal dos jovens católicos.

Bento XVI se dirigiu aos jovens em uma mensagem que começa assim: “Desejo, em primeiro lugar, renovar a vós o convite para participardes nesse importante evento. A conhecida estátua do Cristo Redentor, que se eleva sobre àquela bela cidade brasileira, será o símbolo eloquente deste convite: seus braços abertos são o sinal da acolhida que o Senhor reservará a todos quantos vierem até Ele, e o seu coração retrata o imenso amor que Ele tem por cada um e cada uma de vós. Deixai-vos atrair por Ele! Vivei essa experiência de encontro com Cristo, junto com tantos outros jovens que se reunirão no Rio para o próximo encontro mundial! Deixai-vos amar por Ele e sereis as testemunhas de que o mundo precisa”.

A mensagem, que pode ser lida na íntegra na web oficial da Jornada: http://www.rio2013.com, continua assim: “A Igreja, para continuar esta missão de evangelização, conta também convosco. Queridos jovens, vós sois os primeiros missionários no meio dos da vossa idade! No final do Concílio Ecumênico Vaticano II, cujo cinquentenário celebramos neste ano, o Servo de Deus Paulo VI entregou aos jovens e às jovens do mundo inteiro uma mensagem que (…) concluía com um apelo: «Construí com entusiasmo um mundo melhor que o dos vossos antepassados!»


JMJAR 2013

De sua parte, o Secretariado de Apostolado Educativo e Pastoral Juvenil da Ordem começou a organizar o II Encontro Internacional JAR que terá lugar de 19 a 23 de julho no Colégio Santo Agostinho do Leblon, no Rio de Janeiro. Os jovens agostinianos recoletos se somarão, entre 23 e 28 de julho, aos atos da Jornada Mundial da Juventude. Com o propósito de não deixar de fora nenhum dos jovens que tem uma proximidade com a Ordem e devido a que as JAR ainda não estão implantadas em todos os ministérios, o Secretariado informa que “poderão participar jovens que, sem pertencer às JAR, estejam dispostos a aceitar as exigências e dinâmica próprias de um encontro seu. Neste caso, o religioso encarregado escolherá um pequeno grupo de jovens, para prováveis catequistas, monitores, líderes…, que depois do Encontro possam tornar-se promotores das JAR em seu ministério”.
 
O primeiro Encontro Internacional das JAR, realizado em Madri em 2012, em torno de 500 jovens agostinianos recoletos. Prevendo que o número se possa multiplicar, devido à forte presença agostiniano-recoleta no Brasil, o Secretariado da Ordem enviou informação com indicações concretas aos responsáveis da pastoral juvenil das oito províncias presentes em outros 18 países.


Fonte: http://www.agustinosrecoletos.com/news/view/4-noticias-actualidad/3886-las-jar-quieren-sentir-el-abrazo-de-cristo-redentor-en-la-jmj-de-rio-de-janeiro-2013?lang=pt_PT

FELIZ ANIVERSÁRIO FREI MÁRIO

Província Santa Rita de Cássia
Brasil
  

Frei Mário, hoje é o seu aniversário, cada dia que vivemos é um agradecimento a mais, por tudo o que recebemos do Senhor. Querido irmão, oramos para que tenha uma vida longa para ser vivida e que o Senhor seja um mestre a guiar seus passos para o bem, e para o amor a todos que te cercam. Ouça com atenção a palavra da verdade e da salvação, somente ela pode nos trazer a felicidade. Jamais afaste Deus do teu coração, pois Ele é o nosso verdadeiro e único caminho. Feliz aniversário irmão, na paz de Cristo.

São os votos de todos seus irmãos agostinianos recoletos.

29 de jan de 2013

SANTO AGOSTINHO RESPONDE

Cúria Geral OAR
Roma - Itália

Esta é uma seção do site oficial de nossa Ordem onde você pode consultar a uma  equipe de especialistas sobre santo Agostinho, sua obra e o carisma agostiniano. Envie sua pergunta: http://www.agustinosrecoletos.com/preguntas/inicio



Pergunta
Enviada por Jesús Viveros             
 
Há uma frase atribuída a Santo Agostinho de que as mulheres não devem ser iluminadas nem educadas de nenhuma forma. De fato deveriam ser segregadas. É, de fato, uma frase de Santo Agostinho? Obrigado por sua atenção. Deus os abençoe.


 
 
Eguiarte


 
Enrique A. Eguiarte B. (1960), é religioso agostiniano recoleto, licenciado em Literatura Latino-americana pela Universidade Ibero-americana da Cidade do México (1991), Mestrado em Letras Modernas pela mesma Universidade (1996). Doutor em Filosofia e Letras pela Universidade de Navarra (1999) e Doutor em Teologia e Ciências Patrísticas pelo Institutum Patristicum…



 

consultorio_mujeres_iluminadas
Querido Jesus:
Obrigado pela pergunta. A frase que você comenta e que alguém atribuiu a santo Agostinho é obviamente falsa. Santo Agostinho, apesar de haver vivido em uma cultura onde se dava primazia ao varão, nunca foi um misógino.
Santo Agostinho viveu em uma sociedade incipientemente cristã e fortemente marcada e modelada pela tradição romana expressa pelo mesmo direito romano. Para o direito romano, a mulher essencialmente era um ser alieni iuris, quer dizer, uma criatura dependente de outro na maior parte dos momentos de sua vida. Pode-se contar e apontar as mulheres, grandes e poderosas matronas romanas que, pelo menos de maneira implícita, chegavam a ser sui iuris, quer dizer, independentes e ter uma personalidade jurídica própria. A sociedade romana é, portanto, uma sociedade na qual a mulher é vista como uma criatura de segunda categoria.
Por outro lado, o pensamento de santo Agostinho está marcado pela Sagrada Escritura. No livro do Gênesis são encontradas duas visões, a da igualdade entre homem e mulher (Gn 1, 27) e um pouco depois, a da superioridade do homem sobre a mulher (Gn 2, 22-24).
Por isso, santo Agostinho, fiel a seus princípios exegéticos de interpretar a Escritura com a mesma Escritura, buscará a solução desta antítese nos escritos de são Paulo. Em suas epístolas são Paulo apresenta – por causa de sua época e tradições – uma visão e inclinação de clara subordinação da mulher ao homem. Muitos dos textos mais discutidos de santo Agostinho sobre este tema, como acontece em outros muitos casos, não passarão de uma tentativa de explicação exegética de algum texto paulino.
Até este ponto, santo Agostinho não chegou a sair dos elementos próprios de sua cultura e do pensamento cristão moldado pela Sagrada Escritura. Contudo, a reflexão de santo Agostinho, em sua lucidez e sinceridade, vai mais além, a ponto de reconhecer que, apesar de todas estas considerações próprias de seu tempo e da reflexão em torno do assunto, a mulher é um ser de uma estatura enorme, humana e, espiritualmente falando, que ultrapassa os limites a que sua cultura queria confiná-la.
Em primeiro lugar, quem sai ao resgate da condição feminina e, em geral, da raça e condição humana, não é outra senão a Virgem Maria que, com sua própria e obediente entrega ao plano de Deus, como nova Eva repara os estragos feitos pela desobediência da primeira Eva (s. 51, 3). Para santo Agostinho, a Virgem Maria é não só o protótipo e ideal de toda mulher, mas também de todo cristão (s.191, 4) e, inclusive, da mesma Igreja que, como ela, é também Virgem e Mãe (virg. 2, 2).
Deste modo santo Agostinho reconhece que a mulher, apesar de sua debilidade e limitações físicas, pode ter uma inteireza e uma fortaleza inusitadas, capaz de afrontar as adversidades e a morte com grande força de espírito, como acontece no caso das mártires, representadas particularmente pelas figuras de duas cartaginesas bem populares na África de então, Perpétua e Felicidade, que não deixam de encher de admiração ao Bispo de Hipona, como fica manifesto nos sermões dedicados a elas (s. 280, 281, 282, s. Erfurt1).
Mas, provavelmente, a mulher com a qual santo Agostinho teve maior proximidade e a que mais lhe transmitiu a imensa riqueza que encerra a condição feminina, foi sua mãe santa Mônica. Nela santo Agostinho admirará a constância na oração e, por meio dela, se dará conta da fortaleza e dignidade que a mulher pode apresentar em meio às maiores provas e dificuldades, sobretudo quando se apóia em Deus, como foi o caso de sua mãe. Santo Agostinho apontará também a riqueza espiritual que pode haver na maternidade e no cuidado espiritual das verdadeiras mães para com seus filhos, dando-lhes à luz quantas vezes percebe que se afastam de Deus. Por outro lado, sabe também que santa Mônica, apesar de ser pessoa com uma limitada preparação acadêmica, possui uma inteligência viva e aguda, o que leva santo Agostinho a ter consciência de que as mulheres podem ser não só tão inteligentes quanto os homens, como podem, em alguns casos, ultrapassá-los.
Saudações. Enrique. 

28 de jan de 2013

OS AGOSTINIANOS RECOLETOS APOSTAM NA UNIDADE E SOLIDEZ NA FORMAÇÃO DE SEUS CANDIDATOS EM TODO MUNDO

Encontro Geral dos Formadores OAR
São José - Costa Rica


            O processo de revitalização da Ordem afeta diretamente o processo formativo dos futuros agostinianos recoletos. Para unificar critérios, se reuniram em Costa Rica os responsáveis por transmitir o carisma aos aspirantes, postulantes, noviços e professos simples em todo o mundo. Atualmente a Ordem conta 447 jovens em processo de formação, distribuídos em trinta comunidades de doze países.
           Representando a nossa Província de Santa Rita de Cássia estiveram presentes Frei Afonso e Frei Hélton. 


            O seminário Santo Ezequiel Moreno de Pozos de Santa Ana (Costa Rica) é um local praticamente unido à cidade de São José. Entre os dias 14 e 26 de janeiro, um grupo de 37 religiosos procedentes de doze países estudaram como dar unidade e solidez à formação dos futuros agostinianos recoletos nas 27 casas de formação e três casas de acolhida espalhadas por todo o mundo. Espanha, Argentina, Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Costa Rica, Guatemala, República Dominicana, México, Estados Unidos e Filipinas acolhem atualmente aos 447 jovens que querem ser agostinianos recoletos. A maioria das vocações procede de Filipinas e América, embora haja também alguns europeus, chineses e indianos. Na primeira etapa de formação, o aspirantado, há 103 candidatos. A seguir vem o postulantado, onde atualmente a Ordem acompanha 205 rapazes. Depois virá o noviciado, etapa que conta 22 jovens; e, por último, o estudo da Teologia como professos simples, com votos temporais, etapa em que atualmente se encontram 117 religiosos.

Integral
            O Secretariado Geral de Formação é quem organizou este encontro, que se enquadra no processo de revitalização e reestruturação que empreende a Ordem. Com estas sessões de estudo e debate entre todos os formadores, pretende-se reforçar – a partir da comunhão e comunicação – os processos formativos. O objetivo principal é dar unidade e solidez à formação agostiniana recoleta.

Haren

            Os participantes do encontro levaram muito em conta as orientações da Igreja para a formação dos candidatos à vida religiosa sacerdotal. “Queremos oferecer a nossos formandos uma formação integral que, a partir do carisma agostiniano recoleto vá levando-os a um verdadeiro encontro com Cristo, ajude-lhes a amadurecer em seu processo formativo e lhes capacite para levar adiante sua missão na Igreja”, afirma o presidente do Secretariado, José Ramón Pérez.
            O encontro abordou com detalhes quatro grandes assuntos: o acompanhamento personalizado, o itinerário formativo agostiniano recoleto, a elaboração do programa de formação própria para cada uma das etapas da formação inicial (aspirantado, postulantado, noviciado e pós-noviciado) e o intercâmbio de experiências formativas.
Uma mensagem de Padre Geral

         O prior geral, Miguel Miró, dirigiu-lhes uma mensagem, especialmente direta e incisiva, em que insiste no papel determinante do formador para a revitalização da Ordem. Põe a chave da renovação na identidade carismática, sem a qual se corre o perigo de desagregação: “Devemos ter claro qual é a nossa meta a seguir. Se esta meta é ambígua, escassamente definida e não é comunicada, cada organismo da Ordem perseguirá seu objetivo particular e sua visão própria”. E insiste no perigo da dispersão com expressões concretas e prementes: “Se cada província ou casa de formação só executa o que entende ser suas prioridades e objetivos, se nos deixamos levar por personalismos, pelos interesses de grupo ou nação, se buscamos a condescendência, se propiciamos a acomodação e o isolamento em detrimento da exigência do carisma comum e da dimensão missionária, será difícil elaborar planos, programas ou objetivos comuns a todas as províncias e, longe da comunhão que necessitamos, estaremos propiciando a dispersão de forças”.
            De modo que a mensagem do Prior Geral se converte em um manifesto em prol da comunhão neste campo concreto da Ordem. Miró espera que o encontro de Costa Rica estabeleça “um itinerário comum exigente que fundamente a unidade pessoal do religioso”. E, ao mesmo tempo em que agradece seu trabalho, coloca os formadores diante da realidade concreta da Ordem, propondo-lhes, sem rodeios, uma pergunta candente: “Que critérios haveria que se estabelecer para a viabilidade de uma casa de formação agostiniano-recoleta?”.
 
Fonte: http://www.agustinosrecoletos.com

SEGUNDO ANO DE FALECIMENTO DE FREI JOÃO ECHÁVARRI


Paróquia Nossa Senhora da Consolação
Cachoeiro do Itapemirim-ES
 
No dia 23 de janeiro de 2013, lembramos com muita saudade o segundo ano em que Frei João Echávarri voltou para casa paterna.

 
A Província de Santa Rita de Cássia lembra com grande carinho desse religioso e sacerdote, que do seu modo simples soube conquistar a todos: os de perto e os de longe.


"Façamos uma prece ao Deus da Vida pelo o nosso saudoso irmão Frei João Echávarri, oar".
 

IGREJA MANIFESTA SUA SOLIDARIEDADE ÀS VÍTIMAS DA TRAGÉDIA DE SANTA MARIA-RS

CNBB
Brasília-DF


O incêndio ocorrido em uma casa noturna da cidade de Santa Maria (RS) na madrugada deste domingo, 27 de janeiro, matou 231 pessoas e pelo menos 121 feridas, 80 delas em estado grave. O socorro às vítimas está sendo realizado em hospitais da cidade e também da capital, Porto Alegre.
Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, enviou mensagem ao arcebispo de Santa Maria, dom Hélio Adelar Rupert, recordando que os jovens cariocas realizaram uma vigília na Catedral em que rezaram pelos falecidos, familiares e amigos das vítimas. “Nossos corações estão abalados com essa grande tragédia (...) que ceifou a vida de inúmeros jovens dessa cidade, em especial, dos estudantes da Universidade Federal de Santa Maria”.

Já o cardeal arcebispo de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer, pediu ao clero de sua Arquidiocese que celebrem missas em intenção das vítimas do incêndio. Em sua nota de pesar, expressou sua solidariedade e recordou que “a tristeza aumenta com a constatação de que a tragédia foi consequência de uma série de erros e omissões, certamente evitáveis, se tivessem sido observadas as normas de segurança prescritas”.

O bispo auxiliar
de Porto Alegre, dom Jaime Spengler, que já atuou como referencial para a Juventude no Regional Sul 3 da CNBB, destinou mensagem aos familiares dos jovens falecidos. “Somos atingidos por sentimentos de dor e tristeza. Dor pela vida de tantos jovens; tristeza pelas famílias e amigos destes jovens. Por quê? Resta-nos neste instante o silêncio respeitoso; e, sobretudo, a prece solidária”.
Fonte: Site da CNBB

27 de jan de 2013

SEMANA MISSIONÁRIA NA DIOCESE DE CACHOEIRO DO ITAPEMIRIM-ES

Diocese de Cachoeiro
Cachoeiro do Itapemirim-ES



 
Acontecerá do dia 16 a 21 de julho de 2013, na Diocese de Cachoeiro, onde é marcante a presença Agostiniano-Recoleta, a Semana Missionária. O que é tal Semana?
A Semana Missionária - forma especial da Igreja no Brasil viver o programa "Dias nas Dioceses" - será realizada uma semana antes da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) como forma de preparação para a chegada deste grande evento.
A Semana, na Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, proporciona aos jovens peregrinos a possibilidade de conhecer a nossa vivência cristã, nosso trabalho social, cultural, trocar experiências e enriquecer a fé, conhecendo nossos costumes locais, margeados por belas serras, montanhas, praias e áreas urbanas. De uma forma bem especial é acolhido em um lar, por famílias hospitaleiras, calorosas e com afinidades nos valores cristãos e princípios éticos.
Como Igreja viva, sempre em Missão, a Diocese de Cachoeiro se identifica com o projeto da Semana Missionária e acolhe de braços abertos os peregrinos do mundo inteiro que se propuserem a conhecer uma igreja com desafios e grandes alegrias.