3 de abr de 2013

TRÍDUO PASCAL: PAIXÃO, MORTE E RESSURREIÇÃO - O CRISTO DA VITÓRIA DO CONVENTO DAS MONJAS AGOSTINIANAS RECOLETAS DE SERRADILHA

Monjas Agostinianas Recoletas de Serradilha
Cáceres-Espanha  


 Cristo da Vitória 
        A vivência toma corpo na arte; também no verso. Arte e verso alimentam, por sua vez, a vida da Igreja que, durante a Semana Santa e o Tríduo pascal, sai dos templos e percorre as ruas. Uma mostra excelente, tomada da tradição agostiniano-recoleta, é o Cristo da Vitória em torno ao qual gira a vida das monjas do convento de Serradilha (Cáceres, Espanha).
        A “vitória” que dá nome a esta imagem é vitória sobre a morte. Jesus sofreu uma paixão e morte terríveis, mas por elas mereceu uma vida gloriosa e eterna. O réu, aniquilado sob o peso dos tormentos e desprezos, se levantou da tumba e agora pisoteia a serpente, que simboliza o mal, o pecado. A cruz já não é instrumento de suplício; Cristo as exibe como sinal de vitória.

Um Cristo muito venerado pelos fiéis
        Desde que foi talhada em Madrid pelo escultor Domingo de Rioja, em 1630, esta escultura de tamanho natural e enorme realismo cativou a tantos quantos a olhavam. Em 1660 foi fundado em Serradilha (Cáceres, Espanha) um mosteiro de agostinianas recoletas que, até os dias de hoje, se tornou um relicário de Cristo muito venerado pelos fiéis.
        Ali, em Serradilha, se encerra no próximo dia 4 de maio a fase diocesana do processo de canonização de Isabel de Jesus, a monja agostiniana recoleta que anunciou e impulsionou a fundação deste convento do Santíssimo Cristo da Vitória. Na ocasião já estaremos no tempo pascal, período litúrgico que se inaugura agora nos três dias de luto e triunfo nos quais acabamos de entrar. Todo isso fica modelado por Rioja em seu Cristo. E é o que a liturgia canta em seus hinos. 

Do Rei avança o estandarte,

fulge o mistério da Cruz,

onde por nós foi suspenso

o autor da vida, Jesus.

 

Do lado morto de Cristo,

ao golpe que lhe vibraram,

para lavar meu pecado

o sangue e água jorraram.

 

Árvore esplêndida e bela,

de rubra púrpura ornada,

de os santos membros tocar

digna só tu foste achada.

 

Ó Cruz feliz, dos teus braços

do mundo o preço pendeu;

balança foste do Corpo

que ao duro inferno venceu.

 

Salve, ó altar, salve vítima,

eis que a vitória reluz:

a vida em ti fere a morte,

morte que à vida conduz.

 

Salve, ó cruz, doce esperança,

concede aos réus remissão;

dá-nos o fruto da graça,

que floresceu na Paixão.

 

Louvor a vós, ó Trindade,

fonte de todo perdão,

aos que na Cruz foram salvos,

dai a celeste mansão.

FRADES E SEMINARISTAS AGOSTINIANOS RECOLETOS DA CAPELINHA - FRANCA PARTICIPAM DA MISSA DO CRISMA NA CATEDRAL DE FRANCA-SP

Seminário Nossa Senhora Aparecida - Capelinha
Franca-SP



Na Quinta-feira Santa, os frades e seminaristas agostinianos recoletos da Capelinha participaram da Missa da Unidade (do Crisma) na Catedral da Diocese de Franca, interior de São Paulo. Logo após a celebração compartilharam de um delicioso almoço com os demais presentes. 
 
 





 

TAPAUÁ-AM RECEBEU A RÉPLICA DA CRUZ DA JMJ E O ÍCONE DE NOSSA SENHORA

Prelazia de Lábrea - OAR
Tapauá- AM

 
             A prelazia de Lábrea, Amazonas recebeu em agosto de 2012 – a Cruz Oficial da JMJ e o ícone de N. Senhora na cidade de Lábrea. Ela é o símbolo da fé católica, e foi colocada perto do altar principal na Basílica de São Pedro durante o Ano Santo da Redenção (Semana Santa de 1983 à Semana Santa de 1984). No final daquele ano, depois de fechar a Porta Santa, o falecido Papa João Paulo II deu essa cruz como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade. E, em 2003, o Papa João Paulo II deu aos jovens um segundo símbolo da fé para ser levado pelo mundo, acompanhando a cruz da JMJ: o ícone de Nossa Senhora.

            A recepção em Lábrea se deu no aeroporto do município, onde os jovens a retiraram do avião e desfilaram por toda a cidade. Além de percorrer algumas cidades do interior e dos ribeirinhos. O evento se encerrou com um show musical da Banda Anjos de Resgate. Daí seguiu o seu percurso para outras cidades, prelazias, dioceses e arquidioceses do nosso imenso Brasil.

            As festividades continuaram em toda a Prelazia de Lábrea, por isso, foi autorizada a construção da réplica da Cruz da JMJ e do ícone de Nossa Senhora que estão visitando todas as cidades da Prelazia. Iniciou-se no município de Pauiní, Lábrea, atualmente em Tapauá e no início de abril viajará para a cidade de Canutama-AM e encerrando a sua peregrinação de volta na cidade de Lábrea.  

            Em Tapauá-AM, a chegada da Cruz não foi diferente das outras cidades. Toda a população foi informada pela rádio Educativa, local. Com isso, os jovens juntamente com diversos fiéis a recepcionaram na escadaria do Porto de Tapauá em meados de fevereiro de 2012. A mesma está percorrendo todo o município num prazo de dois meses, em seguida enviaremos a Canutama.

            Em nossa cidade, a cruz e o ícone de N. Senhora percorreu a Matriz de Santa Rita de Cássia, no centro; e as diversas comunidades provenientes da matriz como: Nossa Senhora Aparecida, São João, São José e Santo Agostinho. Ao longo das semanas os fiéis e os jovens demonstraram a sua fé mediante aos atos devocionais como, por exemplo: terço, adoração ao Santíssimo, Ofícios Divinos, Missas, Via-Sacra e outros. Conforme a programação de cada comunidade. A jornada da cruz da JMJ teve o encerramento com uma Missa Amazônica ou cabocla, no dia 23 de março, preparada pelos religiosos locais e os responsáveis das comunidades. Nela contou-se com a participação de inúmeros fiéis peregrinos e de alguns indígenas.

            Neste espírito da juventude a grande data para a JMJ 2013 se aproxima, e com ela alguns jovens Tapauaenses se preparam para viajar rumo à cidade do Rio de Janeiro. Não foi fácil a preparação, tendo em vista que os custos são elevados, então contou-se com a ajuda financeira pessoal, além de festejos, doações e muito trabalho manual com almoços, cafés da manhã e outros. Todo o sacrifício será recompensado uma vez estando pessoalmente na Jornada Mundial da Juventude com tantos jovens do mundo inteiro. Que venha! Venha logo o tão esperado evento: “JMJ 2013”.
Frei Rodolfo Werneck Pereira, oar