6 de nov de 2014

PRIMEIRAS-MISSAS DOS NEO-SACERDOTES DA PROVÍNCIA SANTA RITA DE CÁSSIA.

Província Santa Rita de Cássia
Brasil

Frei Sérgio, Frei Clébson e Frei Rodolfo

Clique nos vídeos abaixo e assista as PRIMEIRAS-MISSAS dos neo-sacerdotes da Província Santa Rita de Cássia:


Frei Rodolfo: Rio de Janeiro-RJ




Frei Sérgio: São Paulo-SP




Frei Clébson: Castelo-ES




Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL:



5 de nov de 2014

A IGREJA E A EXPERIÊNCIA DA MORTE - 02 DE NOVEMBRO.

Província Santa Rita de Cássia
Brasil



        O sentido da vida e da morte constitui uma das grandes questões que, de modo mais ou menos explícito, todo ser humano consciente aborda ao longo de sua vida. Nem todos encaram essa situação do mesmo modo. A maioria quer afastar a ideia olhando para o outro lado. Com frequência a morte se apresenta como resultado de alguma falha evitável ou como consequência inexorável da própria finitude humana.
        A experiência da morte está intimamente ligada à Igreja. Basta olharmos e analisarmos as celebrações, especialmente das exéquias; onde a Igreja sempre está presente com palavras amigas e de conforto, nesta hora tão difícil.
        Assim sendo, a visão cristã sobre a morte deve iluminar e dar sentido à vida. Neste sentido, vejamos as palavras de João Paulo II durante a oração do Angelus em 03 de novembro de 2002:
“O homem de hoje precisa como nunca redescobrir o sentido da vida e da morte na perspectiva da vida eterna. Fora dela, a cultura moderna, que nasceu para exaltar o homem e a sua dignidade, transforma-se paradoxalmente em cultura de morte.”
        Na realidade, a morte é um instante; mas ao mesmo tempo, morrer é um processo gradativo no decorrer de nossa existência terrena.
        No dia 02 novembro, comemoramos a memória de todos os fiéis defuntos, ou seja, o “Dia dos Finados”. O que isso que dizer? Porque e para que rezar pelos defuntos? Estas são indagações que inquietam muitos de nós.
        Primeiramente, devemos recorrer à Sagrada Escritura, em 2 Macabeus 12, 38-46 nós encontramos o texto clássico sobre a oração pelos que já nos precederam. Esta é uma boa oportunidade para lermos, meditarmos, rezarmos e contemplarmos a Palavra de Deus. Busque o texto na Bíblia e leia-o. Com certeza, você compreenderá.
        Em toda Igreja, temos o piedoso e salutar costume de oferecer a Santa Missa como sufrágio pelos que já faleceram. Não existe melhor maneira de entrarmos em comunhão perfeita com nossos irmãos e irmãs falecidos (as) do que através da Eucaristia. Aliás, em cada celebração eucarística, a liturgia da Igreja nos convida a recordar nossos mortos. É o conhecido momento por “aqueles que nos precederam no sinal da fé e que dormem o sono da paz” (Oração Eucarística I). Trata-se de uma antiga tradição que remonta ao período apostólico.
        Em poucas palavras, o sentido cristão-católico da oração em favor dos que já morreram e vivem no Senhor: não se trata de ato mágico como o daquela pessoa que, querendo apressar a misericórdia de Deus, queria mandar celebrar 7 missas de 7º dia, em 7 igrejas diferentes, mas no mesmo horário em que a pessoa falecera, ou seja às 3 horas da madrugada…
        Dificilmente em alguma Igreja no Brasil, haverá missa nesta hora, quanto mais 7. Isto se trata de superstição. A fé nos diz: “Os que morrem no Senhor, vivem no Senhor”. E São Paulo, escrevendo aos Romanos, completa: “O Senhor retribuirá a cada um segundo suas obras” (Rm 2,6). E é por isso que a Igreja reza: “Fazei que contemplem a luz de vossa face”.
        Que o dia de comemoração por todos os fiéis defuntos nos ajude a compreendermos a dimensão cristã da morte e que, como São Francisco de Assis, ao irmos ao seu encontro nós a possamos chamar de “Irmã Morte”, e não a “Velha com a Foice”…[1]

Por Frei Ricardo Alberto Dias, OAR



Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL:



[1] Cf. RIZZI, Caetano. Qual o significado da oração pelos mortos? In.: http://paroquiasaojoseararaquara.org.br. Acessado em 05-10-2012.


4 de nov de 2014

VÍDEO DA ORDENAÇÃO PRESBITERAL DE FREI RODOLFO WERNECK, OAR

Paróquia Santo Agostinho e São Januário
Rio de Janeiro-RJ


Frei Rodolfo Werneck Pereira, OAR, frade agostiniano recoleto da Província Santa Rita de Cássia, Ordem dos Agostinianos Recoletos OAR, foi ordenado presbítero na Celebração Eucarística realizada no dia 6 de setembro de 2014, às 18:30, pela oração da Igreja e imposição das mãos do Ex.º Rev.mº D. Luiz Henrique da Silva Brito, Bispo auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro-RJ, na paróquia São Januário e Santo Agostinho, bairro São Cristóvão, na cidade do Rio de Janeiro, RJ.

                                           
                             CLIQUE NO LINK ABAIXO E VEJA O VÍDEO:


Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL: 


3 de nov de 2014

VÍDEO DA ORDENAÇÃO PRESBITERAL DE FREI CLÉBSON RODRIGUES, OAR.

Comunidade São Marcos
Cachoeiro do Itapemirim-ES


Frei Clébson Souza Rodrigues, da Província Santa Rita de Cássia – Ordem dos Agostinianos Recoletos –, respondendo ao chamado de Deus para servir à Igreja como frade agostiniano recoleto, foi ordenado presbítero na Celebração Eucarística da Solenidade do Todos os Santos realizada no dia 1 de novembro de 2014, às 18h30, pela oração da Igreja e imposição das mãos do Ex.º Rev.mº Dom José Luiz Azcona, Bispo da Prelazia de Marajó, Pará-PA.


                                            VEJA O VÍDEO ABAIXO:



Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL: 


VÍDEO DA ORDENAÇÃO PRESBITERAL DE FREI SÉRGIO SAMBL, OAR.

Paróquia Nossa Senhora de Lourdes
São Paulo-SP

Frei Sérgio Sambl, da Província Santa Rita de Cássia – Ordem dos Agostinianos Recoletos –, em sua resposta vocacional ao chamado de Deus para servir à Igreja como frade agostiniano recoleto, foi ordenado presbítero na Celebração Eucarística realizada no dia 25 de outubro de 2014, às 18h00, pela oração da Igreja e imposição das mãos do Ex.º Rev.mº Dom Edmar Peron, Bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo-SP.

VEJA O VÍDEO ABAIXO:


Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL: 

CARDEAL DOM CLÁUDIO HUMMES VISITA PRELAZIA AGOSTINIANA RECOLETA DE LÁBREA-AM.

Prelazia de Lábrea
Lábrea-AM


Dom Cláudio e Dom Jesus

        A Igreja particular da Prelazia de Lábrea teve a alegre satisfação de acolher durante os dias 24, 25, 26 e 27 de outubro de 2014, o Cardeal Dom Cláudio Hummes, atual presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia. A visita do Cardeal deu-se mediante convite de Dom Jesus Moraza, bispo da Prelazia, para que o mesmo conhecesse a realidade e os desafios dessa Igreja particular na Amazônia.
        Dom Cláudio chegou a Lábrea na manhã do dia 24 e foi recebido no aeroporto municipal por Dom Jesus Moraza, Frei José Garcia (administrador paroquial), Ir. Itárica Zandonadi (Missionária Agostiniana Recoleta), missionário Orly Coco (coordenador de pastoral da Prelazia) e uma representação de crianças da Infância Missionária da Paróquia. A acolhida foi simples, mas o cardeal ficou encantado com as crianças que acenavam bandeiras entoando o canto “alma missionária” e abraçou a todas afetuosamente.
        Ao meio-dia almoçou na Residência Episcopal com os religiosos e religiosas agostinianos que atendem pastoralmente a Paróquia. Também esteve presente o padre Antônio Batista (administrador da Paroquia de Canutama) e o coordenador de pastoral da prelazia.
        Pela tarde, seguindo a agenda de atividades para esse dia, visitou o Centro Esperança de Lábrea, projeto social da Prelazia aos cuidados dos Freis Agostinianos que tem como principal missão realizar um trabalho preventivo voltado para adolescentes e jovens através da educação complementar, a fim de mantê-los ocupados durante o período que não estão na escola, evitando que caiam em situações de risco e vulnerabilidade social. Ele visitou todas as oficinas e elogiou bastante a iniciativa e os trabalhos desenvolvidos.
        No fim da tarde, seguiu viagem de barco pelo Rio Purus, rumo à cidade de Canutama, numa viagem de 14 horas na companhia de Dom Jesus e do Padre Antônio Batista, da Paróquia São João Batista de Canutama.
        A tão esperada comitiva atracou no porto de Canutama as 9h00min do dia 25, e mesmo estando chovendo, foi acolhida pelo povo canutamense e representações de diversos segmentos da sociedade e da igreja. Esteve presente o prefeito municipal Ocivaldo Amorim e represente do legislativo, bem como as missionárias da Comunidade Católica Missão Resgate e Frei Miguel Angel Peralta, administrador da Paróquia Santa Rita de Cássia, da cidade de Tapauá, que veio para acompanhar a visita do Cardeal a Canutama e posteriormente a Lábrea.
        Após a calorosa acolhida que contou com queima de bateria de fogos de artifícios, todos seguiram cantando alegres até a Igreja Matriz de São João Batista, e na ocasião agradeceu imensamente a acolhida festiva e abençoou a todos. Depois do café da manhã, seguiu visitando e conhecendo todas as comunidades da sede da paróquia, até a hora do almoço que aconteceu na casa paroquial com todos os religiosos.
        Pela tarde, teve reunião com as lideranças pastorais e comunitárias da referida paróquia na quadra da Escola Frei Isidoro, aonde o coordenador paroquial da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Luís Xavier expôs os desafios, no que diz respeito aos aspectos sociais e religiosos da realidade Canutamense. Já pela noite, o cardeal presidiu a Eucaristia na Igreja Matriz com grande participação de fiéis.
        Na manhã do domingo, dia 26, retornando a Lábrea, dessa vez de lancha, Dom Cláudio teve a oportunidade de visitar duas das comunidades ribeirinhas do Purus atendidas pela Paróquia de Canutama. Pôde sentir o carinho acolhedor, a simplicidade e a fé dos nossos irmãos ribeirinhos das comunidades “Nova Vista” e “Carmo”. Chegaram a Lábrea por volta do meio-dia.
        As 19h30hs na quadra da Escola Santo Agostinho, presidiu a celebração eucarística em que se celebrou a abertura do 30º aniversário do “martírio” de Irmã Cleusa (Missionária Agostiniana Recoleta) – mártir da causa indígena na Prelazia de Lábrea. Concelebraram: Dom Jesus Moraza; os Freis Agostinianos: José Garcia, Gustavo Barbiero, Edgar Omar e Miguel Peralta; o Padre diocesano José Lauro e o diácono Frei Geraldo Inácio. Foi uma celebração dinâmica, “estilo amazônico” com grande participação do povo, e na ocasião transmitiu-nos a bênção do Papa Francisco, que tem um imenso carinho pelos povos da Amazônia.
        Considerando a motivação para a abertura da celebração dos 30 anos do “martírio” de Irmã Cleusa, Dom Cláudio concluiu sua homilia dizendo: “vocês estão começando também a celebrar os trinta anos do martírio da Irmã Cleusa. Aqui ela morreu, nessa Prelazia entre vocês. Ela deu a sua vida, ela foi morta por isso, porque era missionária, porque tinha fé, porque amava esse povo, defendia esse povo. Então isso é muito bonito, isso ajuda, isso é uma luz que vocês têm diante de vocês e que também vocês podem dizer: “olha, a nossa igreja está produzindo santos, está produzindo ‘mártires’”. E eu dizia ao papa: “esse missionários, e tantos que já os precederam, que já morreram e estão enterrados aqui nesses duzentos últimos anos, o senhor pode colocar todos no altar e canonizar…”. – Ele riu um pouco e disse: “eu também acho que é assim…”. São santos homens, são santas mulheres… Então que isso também nos ajude a todos nós a viver a nossa fé. Que vocês continuem aqui a ser essa igreja corajosa, que caminha, que vai e não fica sentada em casa. Amém”.
        Ao término da celebração Irmã Itárica entregou em nome da Paróquia e das Irmãs Agostinianas Recoletas uma lembrança de nossa realidade para o Cardeal, bem como os jovens da Comunidade São José fizeram uma homenagem com a apresentação da dança do cangaço.
        Segunda-feira, dia 27, as 8h00min visitou a comunidade indígena São José, nas áreas do Caititu, que é acompanhada pelo Conselho Missionário Indigenista da Prelazia (CIMI).
        Pela tarde participou de um encontro no auditório da Prefeitura Municipal de Lábrea com algumas autoridades. O encontro contou com a participação do prefeito de Lábrea, Sr. Evaldo Gomes; o vice-prefeito, Sr. Michel Cruz; o secretário de saúde, Sr. Edenir Maia; o representante da secretaria de educação, Sr. José Roberto; o representante da secretaria de ação social, Sr. Jordevan; o tenente da polícia militar, Sr. Laurênio, além da representação do clero local. Durante o encontro falou-se sobre os desafios e anseios da gestão municipal no tocante as áreas básicas de saúde, educação, assistência social e segurança. Ao final do encontro Dom Cláudio também lhes dirigiu a palavra encorajando-os diante das dificuldades e anseios.
        As 17h30hs reuniu-se com as lideranças pastorais e comunitárias, os religiosos e sacerdotes da paroquia, no Centro Comunitário Dom Florentino, aonde Frei José Garcia fez uma breve apresentação geral em slides da Prelazia de Lábrea com seus aspectos e peculiaridades. Em seguida o leigo Antônio Paulino expôs a realidade social e religiosa de Lábrea na visão do leigo, apontando criticamente seus muitos desafios a serem superados. Também ao final Dom Cláudio dirigiu a palavra a todos os presentes motivando-os diante dos desafios da evangelização nesse contexto.
        As 19h30min Dom Cláudio presidiu a missa na Capela Nossa Senhora de Fátima, onde se encontra sepultado os restos mortais de Irmã Cleusa; (é importante ressaltar que esta celebração não estava na programação de atividades do cardeal, mas ele fez questão de celebrar junto ao túmulo de Irmã Cleusa).
        Durante a homilia enfatizou que era um dia muito especial para ele está celebrando onde está sepultada Irmã Cleusa, cujo 30 anos de “martírio” nossa Prelazia está começando a celebrar, e sobre a doação da sua vida ele falou: “…Que ela também nos ensine a inspirar a sua coragem, a sua fé, o seu amor, essa caridade. Esse amor ao próximo, no caso, sobretudo os indígenas, a cujo serviço ela se colocou totalmente enfrentando qualquer situação de risco que houvesse e acabou dando a vida por seus irmãos indígenas, isso para nós todos, para a igreja, esses ‘martírios’, esses testemunhos são muito importante, eles são muito fortes, valem mais do que muitas pregações. O testemunho maior que alguém pode dar é dar a vida por Jesus cristo, dando a vida por seus irmãos”.
        Ao término da celebração, agradeceu a acolhida de Dom Jesus Moraza, dos sacerdotes e de todo o povo da Prelazia de Lábrea pela receptividade e carinho que lhe dispensaram, pois foram poucos dias, porém com vasta experiência que o ajudarão muito em sua missão na Igreja da Amazônia. Após, houve uma confraternização de despedida com todas as lideranças da paróquia.
Durante a visita o Cardeal pode experimentar um pouco da realidade pastoral da Prelazia com seus anseios, sonhos, desafios e particularidades de Igreja na Amazônia.  Suas grandes distâncias geográficas, a escassez de recursos humanos e materiais para fazer a missão acontecer com maior eficácia. Mas também pôde perceber um povo alegre que partilha sua fé – uma manifestação da presença viva da Igreja de Jesus Cristo às margens do Rio Purus Missionário.
        O Purus para nós é o símbolo do caminho pascal para o Reino, pois todas as forças vivas da Prelazia são como os rios Pauini, Ituxi, Mucuim e Ipixuna, que se derramam a cada dia no Purus, sinal de nossa articulação espiritual, que juntos com a Igreja na Amazônia somam forças no Solimões e Negro, o Grande Amazonas, que aos pés da Virgem de Nazaré em sua Foz se entregam totalmente ao Mar. (cf. Plano Pastoral da Prelazia de Lábrea, n. 2).

Por Marcelo Viana – Coordenador do COMIPA/LÁBREA


Algumas fotos dos momentos de Dom Cláudio em Lábrea:

















Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL: 



ENCERRAMENTO DAS MISSÕES POPULARES 2014 EM CASTELO-ES.

Paróquia Nossa Senhora da Penha
Castelo-ES



Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL: