11 de mar de 2017

REFLEXÃO: TEM ALGUÉM ESPERANDO... É TEMPO DE VOLTAR!

Paróquia Nossa Senhora de Lourdes
São Paulo-SP


        A passagem do Evangelho de são Lucas capítulo 15, 11-32 faz-nos refletir sobre a atitude do Pai das Misericórdias que acolhe o filho pecador e reintegra-o em seu seio. Vou me deter na atitude do filho mais jovem que pede que ao pai que lhe reparta a herança. Pedir a herança ao pai sem que o pai tenha morrido, é como se o filho estivesse rompendo com o pai e prematuramente o matando! Sua sede de sair de casa reflete o desejo de procurar novas experiências. Pode-nos parecer algo fora da realidade, porém, quantos jovens conhecemos que buscam desenfreadamente o prazer e também saem do convívio familiar?

        Após um período de diversão, festas e bebedeiras, eis que o dinheiro acaba. E agora? O que fazer? Vemos que o filho é movido a voltar à casa paterna, não pela saudade que sentiu do pai, mas, por causa da fome que assolou aquela região que o fez cair em si e querer voltar: “Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!” (Lc 15, 17). Mesmo com fome, este filho sabia que seu pai era justo e não o deixaria desamparado; mesmo rompendo com a casa paterna, sentia que o Misericordioso pai lhe daria ao menos um prato de comida.

        Aquele filho caiu na pretensão de pensar que fora da casa do pai as coisas seriam mais fáceis, mais prazerosas. Mas, qual foi a vida a qual se deparou? “querer comer a comida dos porcos e nem isso lhe era permitido” (Lc, 15, 16). Comida dos porcos, algo mais asqueroso que alguém pode comer! Para os judeus, o porco é um animal impuro e cuidar dele é o trabalho mais humilhante; imagine então comer a comida deste animal! O pecado nos joga na lama e suja nossa dignidade! Experimentando esta sensação de estar no fundo do poço, este filho decide voltar. Seu ímpeto de voltar revela que junto ao pai teria o necessário para continuar a vida. Suas palavras, além de reconhecer que errou, mostram arrependimento: “Pai, pequei contra o céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus empregados” (Lc 15, 18-19).

        A caminho da casa, eis que o pai, aquele que estava todos os dias à sua espera, se antecipa e sai correndo para abraçá-lo. A atitude deste pai em acolher o filho mostra o seu imenso amor e sua consideração por este jovem. Correu para acolhê-lo porque sabia que um dia voltaria. O Evangelho é ainda mais incisivo em dizer que o pai “foi movido por misericórdia” (Lc, 15, 20), ou seja, ele viu com o coração a dor do filho e isso estremeceu suas entranhas. Imagine você uma pessoa suja, suada e com as roupas surradas sendo abraçada e beijada. Beijamos somente a quem amamos! O filho nem sequer tem tempo para dizer as palavras ensaiadas porque o Misericordioso pai pede logo sandália, anel e roupas limpas (Lc 15, 22) a fim de restaurar a dignidade de filho e herdeiro que aquele rapaz havia perdido.

        Irmãos, o pecado tira tudo de nós: nossa dignidade, nossa alegria, nosso desejo de viver, mas, nunca ninguém, nenhuma situação ou pessoa poderá nos tirar a marca de filhos amados, pensados e prediletos de Deus! Basta que façamos este caminho de conversão, mesmo que movidos pela fome! A festa expressa a alegria de um pai aliviado por recobrar seu amado com vida. Esta pode ser a sua história. Quantos saem da casa do Pai e se aventuram por caminhos tortuosos? O mais importante aqui não é o erro, até porque somos todos susceptíveis a isso. O mais belo e o mais apaixonante é saber que há um PAI NOS ESPERANDO mesmo se formos insensatos, pecadores e de cabeça dura. Não importa o quanto erramos, basta abandonar os hábitos do homem velho e se revestir do homem novo. Tem alguém que me ama e está à minha espera. É tempo de voltar.
 


Por Frei Rhuam Ferreira Rodrigues de Almeida, OAR – São Paulo/SP.
Fonte: Jornal Online “A Voz de Lourdes” – Março de 2017.




Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL:



10 de mar de 2017

VIA-SACRA COM OS FRADES E SEMINARISTAS OAR DA CAPELINHA (FRANCA/SP).

Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Capelinha
Franca-SP



     Como é o costume em toda Igreja no Tempo Quaresmal relembrar e vivenciar a Paixão do Senhor pela meditação da Via-Sacra, também os frades e seminaristas recoletos da Capelinha em Franca/SP seguem este costume todas as sextas-feiras quaresmais.

        No dia de hoje, 10 de março de 2017, a Via-Sacra iniciou-se às 18h15m na igreja matriz da Capelinha e, contou com a participação dos seguintes frades: Frei Afonso, Frei Wesley, Frei Clébson, Frei Ricardo, Frei Ivo e demais seminaristas.

        Que a reflexão da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo possa abrir nossos corações para sermos mais solidários, principalmente com aqueles que mais sofrem.

Por Frei Ricardo Alberto Dias, OAR – Franca/SP.


Algumas fotos da Via-Sacra:


















Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL:



6 de mar de 2017

ACONTECEU O ENCONTRO DA JAR EM CASTELO-ES. (05 DE MARÇO DE 2017).

Juventude Agostiniana Recoleta
Castelo-ES



        No dia 05 de março de 2017, no Centro de Convivência da Irmãs Vicentinas em Castelo/ES, os jovens da pré-comunidade da JAR/Castelo com os jovens da JAR da comunidade do Patrimônio do Ouro (ainda em formação), que localiza-se no interior da cidade castelense realizaram o “Retiro Coração Inquieto”, contando com as orientações dos frades recoletos: Frei Ademildo Gomes e Frei Sérgio Sambl (responsável pela JAR/ES-RJ). Também esteve presente o casal Juliana Barbieri e Vinícius Barbosa, leigos coordenadores da JAR no Estado do Espírito Santo.

        O Retiro teve palestras que falavam acerca da Inquietude Agostiniana, Juvenil e sobre o Amor a Deus e o Amor ao próximo. Além das palestras aconteceram momentos dirigidos de partilha em grupos, dinâmicas e oração como o Santo Terço. Sendo que a conclusão do encontro foi o ponto cume, ou seja, a celebração da Santa Missa e, logo após, a Adoração ao Santíssimo Sacramento.

        Na ocasião, o Prior Provincial da Província Santa Rita de Cássia, Frei Nicolás, fez questão de se fazer presente no encontro e falou aos jovens sobre a importância da JAR e da juventude na Igreja.

Agradecemos a colaboração de todos que auxiliaram neste retiro e pedimos ao Senhor que fortaleça os jovens na vivência do carisma Agostiniano-Recoleto, na vida de oração, fraternidade e solidariedade com os mais necessitados.

Por Frei Sérgio Sambl, OAR – Vitória/ES.
Colaboradora: Vanessa Pagiola – Vitória/ES.
Edição para o Blog: Frei Ricardo Alberto Dias, OAR – Franca/SP.


Algumas fotos do encontro:



















Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL:



ACONTECEU O PRIMEIRO ENCONTRO VOCACIONAL AGOSTINIANO-RECOLETO NO ANO DE 2017.

SAV/OAR
Marataízes-ES



        Neste último final de semana passado, 03, 04 e 05 de março de 2017 aconteceu na cidade de Marataízes (ES), o “PRIMEIRO ENCONTRO VOCACIONAL AGOSTINIANO-RECOLETO NO ANO DE 2017”.

        Com a direção dos religiosos, Frei Gustavo Barbiero Mello, Frei André Pereira de Arruda (Promotores Vocacionais), Irmã Marlene Valani (provincial das MAR), Irmã Ivone Leonor da Silva Herbert, 32 jovens, sendo, 28 rapazes (OAR) e 4 moças (MAR), conheceram um pouco mais do carisma agostiniano recoleto.

        O objetivo principal do encontro foi entre outros, ajudar os jovens, entre moças e rapazes, que procuram a Ordem dos Agostinianos Recoletos com alguma inquietação vocacional, a discernirem o chamado e a vontade de Deus em suas vidas. Criar laços de confiança e amizade, promover a convivência dos vocacionados com os frades e também entre eles.

        O principal assunto tratado neste primeiro encontro vocacional foi: o seguimento de Jesus Cristo, nas diferentes vocações, abordando os seguintes aspectos: VOCAÇÃO É DOAÇÃO (Teologia da vocação); VOCAÇÃO LAICAL; VOCAÇÃO SACERDOTAL; VOCAÇÃO MATRIMONIAL e VOCAÇÃO RELIGIOSA.

        Esse foi o primeiro encontro vocacional do ano de 2017, tendo em vista mais três encontros. Além dos assuntos principais abordados, foram programados momentos fortes de oração, de convivência comunitária, partilha e interiorização. Destacou-se a Liturgia das Horas e o deserto com a Palavra de Deus como momentos marcantes. O ápice dos momentos de oração se deu com a Eucaristia celebrada no domingo.

        Somado aos momentos de recreação comunitária, foram promovidas convivências dirigidas com aplicação de dinâmicas corporais, partilhas e recursos áudio visuais. Durante todo o encontro a equipe utilizou o material formativo proposto pela Ordem, como o IVAR, e demais materiais da Igreja.

Que o Senhor continue chamando moças e rapazes dispostos a doarem suas vidas no serviço do Reino de Deus!

Por Frei Gustavo Barbiero Mello, OAR – Cachoeiro do Itapemirim/ES e Frei André Pereira de Arruda, OAR - Ribeirão Preto/SP.
Colaboradora: Vanessa Pagiola - Vitória/ES
Edição para o blog: Frei Ricardo Alberto Dias, OAR – Franca/SP.


Algumas fotos do encontro:












  
Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL: